Muda a defesa de Jussara e Danilo

Jussara Paes está presa desde 5 de julho na Penitenciária Feminina, enquanto aguarda julgamento. Imagem: Arquivo/DP


A esposa e o filho mais velho do médico, Jussara e Danilo Paes, acusados pela morte do marido e pai Denirson Paes, nomearam um novo advogado de defesa, Rafael Nunes. A defesa trabalha agora com uma nova linha de atuação e aponta a vítima como um homem agressivo com a esposa e filho. Denirson Paes foi encontrado morto no condomínio onde morava, em Aldeia, no último mês de julho com o corpo esquartejado.


O advogado que assumiu o caso há 15 dias apurou irregularidade na investigação da Polícia. Segundo ele, o médico assassinado tinha uma personalidade controladora e afirma que Jussara sofria agressões físicas e teria entrado na Justiça para pedir uma medida protetiva contra o marido. “Jussara foi casada com Denirson por mais de 30 anos.

Durante todo esse tempo sofreu extrema violência psicológica e sempre foi agredida fisicamente. Ela teve que cobrir os hematomas com maquiagem mais de uma vez para que os filhos não percebessem. Ele procurava na frente dela relacionamentos com outras mulheres em sites”, diz Rafael.
O boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Camaragibe é de julho de 2015. A denúncia de Jussara contra Denirson é de tortura psicológica e no mesmo mês ela também entrou na Justiça para proibir a aproximação do marido. Segundo ela, as agressões teriam começado ainda na primeira gestação quando Denirson teria dado chutes na barriga dela por não querer filhos. Uma semana depois da medida protetiva, o documento foi revogado por pedido da própria Jussara, que alegou querer voltar para o marido.

O advogado pretende solicitar um exame para avaliar a sanidade mental de Jussara. Com a confissão dela livrando o filho da suspeita, a defesa vai concentrar esforços em provar a inocência de Danilo. Os dois estão presos pela participação no crime desde o dia 5 de julho. Na ocasião, ela e o filho alegaram inocência. Jussara voltou atrás e decidiu assumir a autoria do crime sozinha, o que inocentaria o filho mais velho.


RECONSTITUIÇÃO
No último dia 14 de setembro os peritos do Instituto de Criminalística (IC) foram até o condomínio de luxo em Aldeia para fazer a reconstituição do assassinato do médico. A reconstituição demorou quatro horas. Participaram da simulação, Jussara Rodrigues, 55 anos, e Danilo Paes, 23 anos, filho do médico. De acordo com os peritos foram realizadas várias etapas para tentar evidenciar todos os passos do crime para tirar dúvidas, uma delas se Jussara teria força suficiente para agir sozinha, como ela afirmou para não comprometer o filho Danilo Paes, que está sendo acusado pela morte do pai, junto com a mãe. O resultado da perícia ainda não foi divulgado.


O CASO
O cadáver do médico foi encontrado no último dia 4 de julho dentro de uma cacimba na casa onde morava, no condomínio Torquato Castro, na Estrada de Aldeia, em Camaragibe, Região Metropolitana do Recife. O desaparecimento do médico cardiologista Denirson Paes da Silva vinha sendo investigado desde o início de junho.


Em um Boletim de Ocorrência registrado no último dia 20 de junho sobre o desaparecimento do marido, a farmacêutica Jussara Rodrigues Silva Paes, 54, alegava que a vítima teria viajado para fora do país e que não teria retornado. A delegada Carmem Lúcia, de Camaragibe, desconfiou do envolvimento dos familiares e solicitou um mandado de busca e apreensão no condomínio em que eles moravam e o corpo foi localizado na cisterna da casa.




Nenhum comentário