Neymar terá trabalho para mudar fama de cai-cai que só cresceu na Copa

Neymar ficou com a imagem arranhada por tentar ludibriar a arbitragem na Copa do Mundo / Foto: AFP

Considerado um dos jogadores mais midiáticos da atualidade, Neymar terá trabalho para reverter a imagem negativa que deixou após a Copa do Mundo. Como se não bastasse o fato de ter apresentado na Rússia um futebol muito aquém do que sabe jogar, as constantes simulações do camisa 10 canarinho em campo não pegaram bem e ganharam uma repercussão mundial. Não só a imprensa internacional como vários ex-jogadores de outras seleções não pouparam críticas ao brasileiro, condenando a sua teatralidade durante todos os jogos disputados pelo Brasil na competição. Até mesmo na eliminação brasileira, contra a Bélgica, o atacante tentou forçar duas jogadas de pênalti. Em todos os lances, inclusive, o árbitro da partida sequer utilizou o recurso do VAR, reforçando ainda mais a fama de “cai-cai” que Neymar pegou e que terá de se esforçar muito para se livrar.
A imprensa espanhola, que acompanhou de perto as atuações de Neymar nas quatro temporadas dele no Barcelona (de 2013/2014 a 2016/2017), foi contundente na avaliação feita do atacante da seleção brasileira na Copa do Mundo. O Mundo Deportivo, da Catalunha, escolheu um trocadilho para traduzir o camisa 10: “Neymal”. Já o outro periódico catalão, o Sport, utilizou um termo comum na Europa ao se referir às simulações em campo: ‘piscineiro’, escrevendo que “Neymar voltou a se atirar na piscina”. No complemento da manchete, reforça que “a estrela da seleção tentou forçar o pênalti em várias ocasiões”.
Ainda na Espanha, mas agora na capital Madri, o Marca analisou que “Neymar sai pela porta do fundo do Mundial e termina um ano para duvidar”. Enquanto que o “AS” destacou que o camisa 10 não ganhou uma jogada individual e esteve irreconhecível quando a seleção mais precisou dele.



Mas as críticas não se restringiram à imprensa espanhola. Em Portugal, o principal jornal do país também utilizou o excesso de simulações do atacante para escrever sua manchete. O periódico A Bola foi sucinto: “Neymar caiu de vez”, com uma foto do jogador no chão reclamando. Já o mexicano Record foi irônico e publicou: “Neymar vai para casa... Viaje com cuidado”. Como imagem, fizeram uma montagem do brasileiro amarrado por adesivos com dizeres de “frágil”, normalmente utilizado quando nas malas que possuem objetos mais delicados, com risco de se quebrar.

Nenhum comentário