Médico e esposa tinham brigas constantes por causa de dinheiro, diz testemunha



Uma testemunha-chave, funcionária da residência onde vivia a família do médico Denirson Paes, afirmou, em depoimento à polícia, que as brigas entre a vítima e a esposa eram constantes. O motivo? Quase sempre por causa de dinheiro. A declaração reforça a tese dos investigadores de que a iminente separação do casal e a disputa pelo patrimônio da família foram as motivações para a prática do crime, num condomínio de luxo em Aldeia.
No depoimento, a funcionária descreve o cardiologista como um bom marido e um pai excelente. Diz ainda que ele teria planos de se mudar de casa. A mesma declaração foi dada à polícia pelo filho mais novo do casal. Ele contou que já sabia que os pais iriam se separar.
Sobre a esposa do médico, a farmacêutica Jussara Paes, a testemunha afirma que se tratava de uma pessoa “fria, dissimulada e mentirosa”. Já em relação ao filho mais velho, Danilo Paes, destaca que ele passou a tomar medicamentos para combater a depressão no mês de junho, período em que o pai desapareceu.
O depoimento dessa testemunha-chave fez parte dos argumentos da polícia para solicitar à Justiça a prisão temporária da esposa e do filho mais velho do médico. Ambos devem ser indiciados por homicídio triplamente qualificado e por ocultação de cadáver.

Nenhum comentário